Kris Young Lutadora do MFC

Kris Young jovem lutadora do MFC.

 


Kristiane Carvalho (26 de dezembro de 1997) é uma modelo, atriz e lutadora de MMA, Karate, Muay Thai e Kickboxing, atualmente machucada e fora de competição, mas ainda atual campeã do Karate Kyokushin. Kris começou sua carreira em 2016 aos 18 anos, no evento de kickboxing PIFC e teve sua dica inicial saindo como campeã do evento. Ela também foi campeã da copa de kickboxing de Osasco no ano seguinte (2017) e ainda não satisfeita com sua renda mesmo depois das vitórias que decidiu aprofundar e se dedicar mais, estava muito bem fisicamente e já treinando modalidades marcantes, acrescentou mais, o Karate que mesmo não sendo tão valorizado como deveria, ajudou a melhorar suas habilidades e perspectivas, então quando teve sua primeira oportunidade antes de um importante campeonato que aconteceu em 2018, o campeonato de karatê kyokushin de São Paulo, onde o campeão representar o Brasil no campeonato sul-americano que aconteceria no Uruguai no final do ano, ela propôs ser a representante da equipe e dedicar ainda mais tempo para ser campeão e ter a chance de lutar pelo Brasil. Com muito treinamento e falta de descanso, Kris desenvolveu lesões no cotovelo, mas ainda treinou até o último dia e lutou no campeonato, e mesmo sendo o único faixa branca em sua categoria, enfrentou mais oponentes e o ex-campeão deste evento, ela deu seu máximo e foi mais uma vez campeã, campeã paulista de karate kyokushin. Infelizmente depois do torneio, ela não conseguiu manter o treinamento preparatório para o campeonato sul-americano, por causa dos ferimentos e não pode competir. Treinadores relatam que Kris é uma atleta ativa e trabalhadora, com potencial para ser a nova promessa do UFC. Em agosto de 2017 foi feito um relatório sobre as mulheres que lutam, onde um pouco da história de Kris é contada e aberto ao público seus sonhos e os desafios que ela teve que enfrentar antes, pelo menos chegando onde ela está agora. Ela diz que sempre foi uma criança cheia de sonhos não apoiados pelos pais, que vêm de famílias tradicionais e acreditam que o lugar das mulheres é dentro de casa e que lutar é selvageria e não um esporte, que somente homens podem praticar enquanto mulheres devem estar fora.